Notícias

Suspensão de Atendimento Presencial No Município de São Paulo

 

Suspensão de Atendimento Presencial No Município de São Paulo

 

Foi publicado o decreto do prefeito Bruno Covas que veda o ATENDIMENTO PRESENCIAL AO PÚBLICO no município de São Paulo, dos estabelecimentos de comércio em geral, tais como lojas de materiais de construção, vestuário, itens domésticos, entre outros, entre os dias 20/03/2020 a 05/04/2020.

Nesse período, apenas será permitido o atendimento presencial ao público nos seguintes estabelecimentos:

  1. Farmácias e Drogarias;
  2. hipermercados, supermercados, mercados, feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de abastecimento de alimentos;
  3. lojas de conveniência;
  4. lojas de venda de alimentação para animais;
  5. distribuidores de gás;
  6. lojas de venda de água mineral;
  7. padarias;
  8. restaurantes e lanchonetes;
  9. postos de combustível; e
  10. outros que vierem a ser definidos pelo município, conforme a necessidade.
Contudo, para poderem funcionar, estes estabelecimentos precisam cumprir as seguintes medidas:
I - intensificar as ações de limpeza;
II - disponibilizar álcool em gel aos seus clientes;
III - divulgar informações acerca da COVID-19 e das medidas de prevenção; e
IV - manter espaçamento mínimo de 1 (um) metro entre os clientes.
 
Veja que não foi proibido o FUNCIONAMENTO dos demais estabelecimentos comerciais, que poderão funcionar com portas fechadas, com atendimento online, e-commerce, drive thru, e delivery.
Os únicos estabelecimentos que estão proibidos de funcionar são aqueles dedicados à realização de festas, eventos ou recepções.

Além disto, o Decreto também não restringiu o atendimento presencial ou o funcionamento dos estabelecimentos de outros setores de negócio, tais como, prestadores de serviços, indústrias, estabelecimentos de saúde e hospitais.

Assim, entendemos que o atendimento presencial e o funcionamento continuam sendo permitidos para o setor de serviços e indústria, porém, recomendamos a mesma cautela que será adotada pelos estabelecimentos comerciais, trabalhando com o teletrabalho,  com portas fechadas e entregas, porém, se indispensável o atendimento ao público, que sigam aos mesmos requisitos impostos à eles quanto à limpeza, disponibilização de álcool em gel, atendimento espaçado ou mediante agendamento, evitando que os clientes se aglomerem em recepção.
 

 

Voltar